Vacina Pneumocócica tudo que você precisa saber

Vacina Pneumocócica tudo que você precisa saber

No Brasil, ainda há quem desconheça a bactéria treptococcus pneumoniae e não saiba da existência da vacina Pneumocócica.

Não arrisque contrair doenças pneumocócicas como a pneumonia e a meningite. A vacina Pneumocócica afigura-se a melhor forma de não facilitar o aparecimento destas doenças, protegendo a população da bactéria delas causadora.

Atenção: Crianças e Idosos são os mais vulneráveis a contrair a bactéria, e consequentemente, doenças infeciosas.

 

Informe-se sobre a vacina! Clique Aqui

O que vou saber sobre a Vacina Pneumocócica

  • Doenças que visa combater
  • Para que serve?
  • Em que consite a vacina?
  • Esquema de Vacinação

Doenças que visa combater

A vacina protege os individuos administrados contra várias doenças infeciosas como a pneumonia, meningite, e infecções respiratórias (otite, sinusite, pneumonia).

Previne ainda a transmissão da bactéria responsável pela propagação da doença.
Segundo a OMS, ocorrem cerca de 1.6 milhões de mortes por ano em todo o mundo, devido à infeção pela bactéria treptococcus.

Para que serve?

No Brasil, as mortes por pneumonia são, na maior parte das vezes, devidas à pneumococo. As doenças infeciosas são transmitidas e contraidas através da bactéria treptococcus pneumoniae. Esta bactéria tem uma espécie de proteção, que pode, contudo, ser atacada por anticorpos produzidos, graças à vacina.

Pneumonia é uma doença inflamatória no pulmão?afetando especialmente os sacos de ar microscópicos (alvéolos)? associada a febre, sintomas no peito e falta de espaço aéreo (consolidação) em uma radiografia de tórax. A pneumonia é geralmente causada por uma infecção, mas há uma série de outras causas. Os agentes infecciosos são: bactérias, vírus, fungos e parasitas. Ver definição no Wikipédia
Em que consite a vacina?

Existem dois tipos de vacinas possíveis:

As polissacarídicas que são compostas por polissacarídeos da cápsula de diversos sorotipos do pneumococo. Atualmente, este tipo de vacina contém 23 polissacarídeos capsulares de pneumococos que provocam cerca de 60% de todas as infecções. Esta vacina não é utilizada em crianças com menos de dois anos de idade, tendo já sido comprovada a sua ineficácia nesta idade.

As vacinas conjugadas subdividem-se em pneumocócica 10-valente e pneumocócica 13-valente.

As vacinas conjugadas apresentam polissacarídeos conectados com proteínas, e por isso são mais eficazes, estimulando a produção de anticorpos na mucosa. Esta reação reduz grande parte da transmissão da bactéria, que é feita, maioritariamente, através de gotículas de saliva.

Esta vacina é obrigatória no Brasil, em crianças com menos de cinco anos de idade.

Esquema de Vacinação

A vacina é administrada por injeção intra-muscular. Nos recém-nascidos, a vacina divide-se em quatro doses. A 1ºdose deve ser administrada aos 2/3 meses de vida, a 2ºdose aos 4 meses, a 3ºdose aos 6 meses, e 4ºdose (o reforço) a partir dos 12 meses.

Se a vacinação se iniciar entre os 7 e os 11 meses de idade, serão necessárias duas doses administradas com um intervalo mínimo de um mês.

Recomenda-se uma terceira dose no segundo ano de vida.
Se a vacinação se iniciar entre os 12 e os 24 meses de idade necessitarão de duas doses administradas com um intervalo mínimo de 2 meses.

Principais Destinatários
A vacinação contra o pneumococo é recomendada às crianças, e aos adultos que detenham uma condição que os torne mais vulneráveis, isto é, com um maior risco para o desenvolvimento de doenças infeciosas (portadores de diabetes e doenças cardíacas, por exemplo).

A OMS recomenda que a vacina seja também administrada em crianças e adultos portadores de VIH.

Efeitos Secundários
A Vacina Pneumocócica é, normalmente, segura. Em cerca de 10% das crianças que tomaram a vacina conjugada, houve sonolência e febre, Cerca de 0,1% demonstrou dificuldades respiratórias, diarreia e erupções na pele.

Na vacina polissacarídica, os efeitos mais frequentemente ocorridos foram febre e reações no local de injecção (vermelhidão e irritação), em cerca de 0,01%.

Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

Existe reação da vacina 2 meses?

Existe reação da vacina 2 meses?

Vacinar o bebê de acordo com o calendário de vacinas obrigatório é essencial para prevenir a criança não desenvolver doenças.

Entre nas medicações obrigatórias, está a vacina 2 meses, que como o próprio nome diz, é aplicada nos dois meses de vida.

Entre os médicos, a vacina é conhecida como Pentavalente brasileira.

O que vou aprender sobre vacina 2 meses

  • O que a vacina 2 meses previne
  • Reações
  • Doses necessárias
  • Onde encontrar

O que a vacina 2 meses previne

A pentavalente brasileira é um mix de várias vacinas, que tem como objetivo diminuir o número de injeções aplicada nos primeiros meses de vida. A vacina 2 meses previne doenças como:
– Hepatite B, que é uma inflamação no fígado causada pelo vírus de mesmo nome.
– Pneumonia, otite e meningite
– Coqueluche: doença contagiosa por via respiratória que invade o sistema respiratório. Afeta principalmente bebês
-Tétano, que pode acontecer durante o corte do cordão umbilical ou por contato com áreas infectadas.
– Difteria: bactéria transmitida pelo sistema respiratório e contato físico. Compromete amígdalas, laringe, faringe, nariz e pele.

Reações

Como qualquer outra vacina, a Pentavalente brasileira pode ocasionar alguns sintomas após a injeção. Entre eles, pode ser notado na região onde a injeção foi aplicada um leve inchaço, aumento da sensibilidade no local, febre temporária, irritabilidade na criança e choro agudo.

Esses sintomas geralmente passam depois de alguns dias após a aplicação. Caso apareça qualquer sintoma fora dos citados, é importante visitar um médico ou o posto de saúde onde a criança foi vacinada.

Doses necessárias

A vacina 2 meses é aplicada por via intramuscular, ou seja, por meio de injeção. Geralmente é aplicada na coxa ou no glúteo da criança. A aplicação ocorre por meio de três doses, tendo um intervalo mínimo de trinta dias e o máximo de sessenta dias.

Já o reforço ocorre quando a criança atingir os quinze meses de vida. O segundo reforço acontece aos quatro anos. Nos postos de saúde particulares ou públicos, o reforço também é conhecido como vacina DTP (que protege contra difteria, tétano e coqueluche).

Durante esse período, o Ministério da Saúde indica mais algumas vacinas: contra o rotavírus e contra a pólio.

Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. Ver definição no Wikipédia

 

Contraindicações

Profissionais da saúde não indicam a vacina para bebês que apresentem qualquer tipo alergia ou hipersensibilidade por algum composto presente no medicamento.

É possível identificar essa alergia através da aplicação da primeira dose, onde o paciente apresenta febre elevada nas primeiras 48 horas após a vacina, estado de choque, mal funcionamento no cérebro ou colapso no sistema circulatório.

A aplicação também deve seguir a idade mínima indicada pelo Ministério da saúde, já que não existem estudos que comprovem a segurança da aplicação antes da faixa etária estipulada.

Apesar de existirem algumas reações, os benefícios da vacina 2 meses são benéficos.

Afinal, ela protege contra doenças que mais levam recém-nascidos à óbito no mundo.

O Ministério da Saúde indica a Pentavalente brasileira após comprovar cientificamente que a vacina é benéfica e contribui para a saúde da criança.

Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

Vacina contra o Sarampo tudo que você precisa saber

Vacina contra o Sarampo tudo que você precisa saber

Na Europa o número de infetados chegou aos 21 mil afetados no último ano, realidade que se revela contraditória face às constantes descobertas na área da saúde.

A melhor forma de prevenção é tirar todas as suas dúvidas sobre a doença e a vacinação.


O que vou saber sobre a Vacina contra Sarampo

  • Doença Erradicada?
  • O que é a VASPR?
  • Quando tomar a vacina?
  • Existem reações pós-vacina?
  • Importância da Vacinação

Doença Erradicada?

No Brasil, a doença permanece adormecida, tendo em 2016 recebido o Certificado de Eliminação do Sarampo pela OPAS (Organização Panamericana de Saúde).

Todos os dias surgem novas curas e tratamentos capazes de erradicar vários tipos de doenças, contudo, esta doença contagiosa (que se presumia praticamente erradicada nos paises desenvolvidos), tem manifestado números assustadores em vários pontos do planeta.

Assim torna-se imprescindivel saber mais sobre a doença e a própria vacinação, uma vez que a doença (quando longamente propagada) pode provocar a morte.

O que é a VASPR?

Embora vulgarmente chamada de vacina do sarampo, a VASPR protege os individuos administrados não só do sarampo, mas também da papeira e rubéola. Neste sentido, a vacina é constituida por elementos mais fracos (adormecidos) presentes nos vírus das três doenças.

A vacina é normalmente administrada no músculo do braço ou na parte superior da perna.

Sarampo é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus do sarampo.Os sinais e sintomas iniciais geralmente incluem febre, muitas vezes superior a 40 ºC, tosse, corrimento nasal e olhos inflamados. Ver definição no Wikipédia
Quando tomar a vacina?

A Vacina contra o Sarampo está contida no Calendário Nacional de Imunizações e deve ser tomada por volta dos 15 meses de vida.

Contudo, é aconselhável tomar a 2ºdose por volta dos 18 anos, sendo esta recomendação válida para ambos os sexos.

Independentemente das idades, a vacina pode (e deve) ser administrada quando não se tem a vacinação em dia e/ou histórico de ter contraido a doença anteriormente.
Aquando da exposição ao vírus, a vacina deve ser administrada nas 72 horas posteriores, a fim de impedir a infeção, já que o periodo de incubação só é iniciado por volta dos 7 dias, após contágio.

Existem reações pós-vacina?

As reações pós-vacina são escassas, comparadas com o mal maior de contrair a doença. Estima-se que cerca de 5% dos vacinados podem sentir febre, nos dias seguintes à toma. Uma percentagem inferior refere ter sentido reações alérgicas e irritação cutânea.

Importância da Vacinação

De facto, estudos da OMS demonstram que cerca de 90% dos doentes contagiados, não tinham vacinação em dia. Uma das causas mais propícias ao contágio é, efetivamente, a falta de informação sobre vacinação, e em casos mais extremos, o movimento anti-vacinação.

Nos paises sub-desenvolvidos, é, evidentemente, a falta de informação que origina dramaticamente a larga propagação da doença, levando a números tenebrosos de individuos infetados, e por fim, vitimas mortais.

A Vacinação é ativamente recomendada, não só pela OMS mas também junto de entidades locais, mais próximas da comunidade, como escolas e hospitais.

Movimento Anti-Vacinação

A verdade é que o movimento anti-vacinação foi ativamente divulgado por Trump, posteriormente seguido por muitos. Todavia, veio mais tarde a confirmar-se que se havia baseado num estudo enganoso, patrocinado por organizações anti-vacinas que queriam derrubar a industria farmacêutica.

Hoje em dia, está claramente conprovado que a vacinação é essencial, constituindo a única forma eficaz (e segura) de se proteger contra o Sarampo.

Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

 

 

Vacina contra a meningite b tudo que você precisa saber

Vacina contra a meningite b tudo que você precisa saber

A meningite B é uma doença rara, que pode se tornar grave em alguns casos, causando perda da audição, cicatrizes cutâneas e amputações.

A meningite é causada por 3 tipos de bactérias, Neisseria meningitidis, Hemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae.

Sendo os sintomas mais comuns:
– Febre alta e calafrios
– Alterações do estado mental
– Náusea e vômitos
– Áreas roxas, como machucados
– Erupções, pontos vermelhos
– Sensibilidade à luz
– Dor de cabeça forte
– Pescoço rígido

Se você está aqui, está à procura de maiores informações sobre está vacina, esperamos que todas as suas dúvidas sejam sanadas após ler este artigo.
O que saberei sobre a vacina contra a meningite b

  • Como ocorre a transmissão das meningites bacterianas?
  • Quando e quantas doses devo tomar da vacina?
  • Efeitos adversos
  • Quem pode ser vacinado?
  • Mas esta vacina é mesmo importante?

Como ocorre a transmissão das meningites bacterianas?

A transmissão mais comum, apesar de variar de pessoa para pessoa, é por meio de gotículas de saliva e pelas vias respiratórias.

Os adultos podem ter a bactéria na garganta e transmiti-la sem que a doença se manifeste. Por isso, o ideal que todos que se mantenham em contato mais próximos da criança sejam vacinados e que se evite estar com a criança ambientes fechados com muitas pessoas.

Quando e quantas doses devo tomar da vacina?

A vacina contra a meningite B é aplicada nas coxas quando se trata de bebês e nos braços quando são crianças, adolescentes e adultos. Só se pode tomar depois dos 2 meses.

A dose varia conforme a idade que se inicia o tratamento:
• 2 a 5 meses: 3 doses + 1 reforço.
• 6 a 11 meses: 2 doses + 1 reforço.
• 12 a 23 meses: 2 doses + 1 reforço.
• 2 a 10 anos: 2 doses.
A partir dos 11 anos, inclusive adultos: 2 doses.

Meningite é uma inflamação aguda das membranas protetoras que revestem o cérebro e a medula espinal, denominadas coletivamente por meninges. Ver definição no Wikipédia

 

Efeitos adversos

Alguns efeitos adversos podem ser encontrados após a aplicação da vacina, tais como: febre, irritabilidade e dor, sensibilidade, vermelhidão e inchaço no local da injeção. Mas no geral, os sintomas são suaves e não se prolongam por muito tempo.

Quem pode ser vacinado?

É recomendado o uso da vacina a partir dos 2 meses de idade contra doença meningite B causada por Neisseria meningitidis. Sendo a idade limite para a aplicação, indivíduos até 50 anos de idade.

Mas esta vacina é mesmo importante? Funciona?

Por se tratar de uma doença que pode desencadear sérios riscos a saúde, é sim fundamental. Essa bactéria é responsável por cerca de 60% dos casos nos menores de 1 ano, cerca de 100% nas crianças entre 12 e 23 meses e 58% nas crianças entre 2 e 5 anos.

No nosso país, a vacina tem tido grande sucesso, e permite precaver contra 81% casos de meningococos B que rodeiam em nosso país.

Agora que você já sabe mais sobre a vacina contra a Meningite B, pode começar a se preparar para tomar a vacina, e viver uma vida mais tranquila!
Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

 

Vacina Imunoglobulina tudo que preciso saber

Vacina Imunoglobulina tudo que preciso saber

Se está grávida, e o seu tipo de sangue é Rh negativo, pode acontecer que o seu tipo de sangue seja incompatível com o do seu bebé…

Assim, é de máxima importância que recorra à Vacina Imunoglobulina para que o seu corpo não reaja de forma a prejudicar o seu bebé.

Informe-se sobre a vacinação! Clique Aqui
O que vou saber sobre Vacina Imunoglobulina

  • Importância da Vacina
  • Quais os riscos para o bebé se houver incompatibilidade de sangue?
  • Como é obtida a Vacina?
  • Quando deve ser administrada a vacina?
  • Efeitos Secundários
  • Taxa de Sucesso da Vacina

Importância da Vacina

A Vacina Imunoglobina é indicada para a prevenção da imunização em mulheres com tipo de sangue Rh negativo.

Isto é, a vacina previne a formação de anticorpos contra as células do bebé. É muito importante que saiba qual o seu tipo de sangue, para que se possa prevenir adequadamente.

Quando o tipo de sangue da mãe é Rh negativo, e o bebé herda o tipo de sangue do pai (Rh positivo), pode acontecer que quando o sangue do bebé entre na corpo da primeira, se produzam anticorpos.

Estes anticorpos podem, por sua vez, entrar na placenta e tentar destruir os glóbulos vermelhos do bebé.

Na maior parte das vezes, a primeira vez que o sangue da mãe encontra outro tipo de sangue incompativel, pode não se defender logo, isto é, o primeiro bebé pode não ser afectado.

No entanto, os anticorpos vão formar-se na mesma, e nas futuras gestações da mulher, eles estarão prontos a atacar o sangue do bebé (se este for Rh positivo).

 

Quais os riscos para o bebé se houver incompatibilidade de sangue?

Claramente, este fenómeno é muito perigoso para a saúde do bebé, podendo provocar anemia e icterícia.

Contam-se, igualmente, casos de deficiência mental, surdez, paralisia cerebral, entre outros.

Em casos mais graves, pode mesmo levar à morte do bebé, dentro do útero ou após o parto.

Os anticorpos (Ac) (também conhecidos como imunoglobulinas, abreviado Ig) são glicoproteínas do tipo gamaglobulina, a fracção de globulinas mais abundante no plasma sanguíneo. Ver definição no Wikipédia

 

Como é obtida a Vacina?

A imunoglobulina anti-Rh é um anticorpo específico usado contra as antígenas de hemácias (de modo a prevenir a chamada doença hemolítica do recém-nascido).

O tratamento demora cerca de três semanas e consiste na neutralização dos glóbulos vermelhos positivos.

Na prática, após contacto entre os dois tipos de sangue, o corpo não terá tempo de produzir prontamente anticorpos, e portanto, não haverá destruição de glóbulos vermelhos.

Quando deve ser administrada a vacina?

É aconselhável a administração da vacina por volta dos sete meses de gestação.

Todavia, em casos excecionais a vacina pode ser tomada, por exemplo, quando a mãe sofra uma hemorragia vaginal, quando ocorra o descolamento da placenta, quando existe risco de aborto (e o bebé tem sangue Rh positivo), entre outras situações.

Após o parto, e nas 72 horas posteriores, pode ainda ser administrada a vacina.

Taxa de Sucesso da Vacina

Em cerca de 99% dos casos de vacinação, a Imunoglibuna consegue prevenir a imunização.

Para tal, a vacina tem de ser administrada a tempo de neutralizar os glóbulos vermelhos positivos e impedir a formação de anticorpos.

Efeitos Secundários

As reações pós-vacinação são raras e a existir consitem em hipotensão, febre e suores, náuseas, taquicardia e hipersensibilidade.

A vacina Imunoglobulina poderá interferir com a eficácia da vacina contra o Sarampo e Varicela, pelo que deverá consultar o seu médico antes da administração.
Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

 

Vacina Contra a Meningite tudo que você precisa saber

Vacina Contra a Meningite tudo que você precisa saber

A Meningite é uma doença infeciosa que afeta as membranas do cérebro, e pode consistir numa bactéria ou mesmo vírus.

Afecta, maioritariamente, recém-nascidos e crianças, já que estes possuem menos defesas imunológicas. Pela sua importância está contida no Programa Nacional de Imunização.

É conhecida por deixar sequelas nos doentes, e em alguns casos, pode mesmo levar à morte. Assim, é necessário estar informado acerca da vacinação contra esta doença.


O devo saber sobre a Meningite?

  • Quando deve ser administrada?
  • Que componentes tem a vacina administrada?
  • Importância da vacina
  • Existem Efeitos secundários?

Quando deve ser administrada?

A vacina contra a meningite deverá ser tomada a partir dos 2 meses de vida, sendo essencial não deixar avançar muito esta data, já que os recém-nascidos são os principais candidatos ao aparecimento da doença, devido ao seu sistema imunológico vulnerável.

É administrada através de várias doses, sendo vulgarmente a 1ºdose aos 2/3 meses, a 2ºdose aos 6 meses, a 3º dose aos 8/9 meses e a 4º dose a partir dos 12 meses.

 

Que Componentes Tem A Vacina Administrada?

Existem no mercado, pelo menos, três tipos de vacinas destinadas a combater a Meningite. São elas a vacina contra a Meningite B, Meningite C e a Pneumocócica.

O Programa Nacional de Imunização contem a Vacina contra a Meningite C, o que provocou a redução do número de infetados (com menos de 2 anos) com este tipo. É o tipo de meningite mais frequente no Brasil.

Contudo, acresce a importância de ser igualmente administrada a Vacina contra a Meningite B, uma vez que se estima que 60% dos casos em crianças com menos de 1 ano se deve à Meningite B.

Para além disso, a vacina contra a Meningite B tem uma cobertura de cerca de 80% na prevenção contra a doença. É o 2º tipo de Meningite mais frequente no Brasil, o que tem levado a discussões acerca da sua inclusão no Programa Nacional de Imunização.

Meningite é uma inflamação aguda das membranas protetoras que revestem o cérebro e a medula espinal, denominadas coletivamente por meninges. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça e rigidez no pescoço. Entre outros possíveis sintomas estão confusão mental ou alteração do estado de consciência, vómitos e intolerância à luz ou a barulho. Ver definição no Wikipédia
Importância da Vacina

A Meningite pode deixar sequelas irreversíveis nas crianças, como a redução de capacidades motoras e mentais, surdez, défice cognitivo, entre outras. A gravidade das sequelas dependerá também da rapidez do tratamento.

Por sua vez, a taxa de mortalidade é bastante alta, já que cerca de 20% dos individuos afectados, acabam por não resistir.

A doença é transmitida através de sercreções, o que tem incentivado não só a vacinação das crianças e recém-nascidos, mas também dos adultos que os rodeiam (já que estes podem transportar a doença sem que neles se manifeste).

Também aos idosos, com mais de 60 anos, é recomendada a adminsitração da vacina, já que, tal como os mais novos, têm as suas defesas significativamente reduzidas, o que os torna vulneráveis à doença.

Contudo, o melhor é prevenir através da vacinação, já que as crianças são fortes candidatas ao contágio. Estima-se que cerca de 95% dos individuos vacinados, ficam protegidos da doença.

Existem Efeitos Secundários?

Os efeitos secundários são os habituais pós-vacinação. Cerca de 5% dos individuos vacinados apresentam sintomas de febre, cerca de 24 horas após a administração da vacina.

Pode ainda surgir irritação cutânea e vermelhidão no local da vacina.

A Meningite é uma doença muito grave e com consequências irreparáveis. A melhor arma é, sem dúvida, a vacinação.
Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

 

O que é a vacina acwy?

O que é a vacina acwy?

Ela é ideal para a prevenção de infecções generalizadas, também conhecidas como doenças meningocócicas. Estas são causadas pela bactéria meningococo, composta pelos tipos A, C, W e Y.

Você conhece a vacina ACWY?

Esta é a Vacina Meningocócica Conjugada Quadrivalente (sigla ACWY).

Ela é ideal para a prevenção de infecções generalizadas, também conhecidas como doenças meningocócicas. Estas são causadas pela bactéria meningococo, composta pelos tipos A, C, W e Y.

Ela é uma vacina inativada. Portanto, não tem como ser a causa de uma doença. Ela tem a presença de um antígeno composto por determinados componentes que estão nas cápsulas das bactérias, do grupo oligossacarídeos.
O que saberei sobre a vacina ACWY

  • Composição da Vacina
  • Para quem esta vacina é indicada
  • Distribuição de doses da vacina ACWY
  • O que é importante cuidar antes e depois de se vacinar

Composição da Vacina

Tem a presença dos sorogrupos A, C, W e Y, ligados a uma proteína, que pode ser o toxoide causador do tétano, dependendo do fabricante da mesma.

Em sua composição também pode ter a presença da sacarose, além do fosfato de potássio diidrogenado, trometamol, fosfato de sódio diidrogenado monoidratado, cloreto de sódio, fosfato dissódico hidrogenado diidratado, e água para a aplicação da injeção.

Para quem esta vacina é indicada

A vacina ACWY é voltada para crianças e adolescentes, de acordo com o que é recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), e Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Para pacientes adultos e idosos, ela só é recomendada de acordo com a situação epidemiológica do local onde vivem.

Também recomenda-se a vacina para pessoas de todas as idades que contam com alguma doença que pode aumentar o risco de contágio da doença meningocócica, bem como para viajantes que vão ir a alguma região onde há o risco de contaminação.

A contraindicação para a vacina ACWY é apenas para pessoas que portaram a anafilaxia, após usar um determinado componente da vacina ou após uma dose anterior.

Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. Ver definição no Wikipédia

 

Distribuição de doses da vacina ACWY

O uso desta vacina é recomendado pelas sociedades brasileiras de Pediatria e Imunizações (SBP e SBIm, respectivamente) para crianças, adolescentes e adultos.

Caso alguma destas pessoas não possa tomar a vacina ACWY, elas devem utilizar a vacina meningocócica C conjugada.

No caso das crianças, a vacinação precisa ser aplicada pela primeira vez aos três meses de idade, com três doses no primeiro ano de vida.

E ainda é preciso ter reforços aos 12 meses, cinco anos e 11 anos. No caso de adolescentes que nunca receberam a ACWY, a recomendação é para ser aplicadas duas doses, em um intervalo de cinco anos. Já no caso de adultos, aplica-se uma única vez.

O que é importante cuidar antes e depois de se vacinar

Antes da vacinação não há nenhum cuidado específico para uma pessoa.

O que é recomendável é que, em caso de febre, seja adiada a aplicação da vacina ACWY até a melhora. O uso de compressas frias é ajudante no alívio da reação no local de aplicação.

Caso uma pessoa sinta um sintoma grave após a vacinação, ela deve ir imediatamente ao serviço onde fez a vacina.

Caso estes sintomas passem das 72 horas após se vacinar, deve haver uma investigação maior para a verificação de outras causas do problema.

A vacina ACWY é muito importante para a não proliferação da meningite.

Ela pode ser encontrada em diversas clínicas particulares.
Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

O que é a Vacina contra Meningocócica conjugada ACWY

O que é a Vacina contra Meningocócica conjugada ACWY

No Brasil, a doença meningocócica atinge em torno de 20.000 mil pessoas por ano, sendo caracterizada com um problema de saúde pública mundial, já que é facilmente contagiosa

Principalmente por crianças e bebês. A doença é causada pela bactéria Neisseria meningitidis causando 5 variações da doença, sendo elas: A, B, C, Y e W-135.

O-que-é-a-Vacina-contra-Meningocócica-conjugada-ACWY

A vacina conjugada ACWY, é um mixer de vacinas, que leva ao organismo a produção de anticorpos contra as 5 variações da doença.

Se você está em busca de informações sobre essa vacina, você chegou até o local certo!

Traremos neste artigo, informações úteis para você!
O que vou saber sobre a Vacina Meningocócica conjugada ACWY:

  • Como ocorre a transmissão das meningites bacterianas?
  • Quem deve se vacinar?
  • Para quem essa vacina não é recomendada?
  • Quando e quantas dose devo tomar?
  • Vacina contra Meningocócica
  • Quais são os efeitos secundários causados pela vacina?

Como ocorre a transmissão das meningites bacterianas?

A transmissão mais comum, apesar de variar de pessoa para pessoa, é por meio de gotículas de saliva e pelas vias respiratórias.

Os adultos podem ter a bactéria na garganta e transmiti-la sem que a doença se manifeste.

Por isso, o ideal que todos que se mantenham em contato mais próximos da criança sejam vacinados e que se evite estar com a criança ambientes fechados com muitas pessoas.

Quem deve se vacinar?

Principalmente bebês e crianças, porém há diferentes vacinas para certos tipos de idades. Uma licenciada a partir de 1 ano de idade e outra a partir de 2 meses de idade. Mas a recomendação fixa é dos seguintes grupos:

– Bebês com menos de um ano de idade
– Adolescentes e adultos jovens de 16 a 23 anos de idade
– Pessoas com certos problemas de saúde que afetam o sistema imunológico
– Pessoas que estejam em risco devido a um surto na comunidade
– Para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.

Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. O agente estimula o sistema imunológico do corpo para reconhecê-lo como uma ameaça, destruí-lo e a manter um registro dele para que o sistema imunológico possa mais facilmente reconhecer e destruir qualquer um desses microrganismos que mais tarde encontre. Ver definição no Wikipédia
Para quem essa vacina não é recomendada?

Não é indicado a aplicação em indivíduos que tenham qualquer tipo de alergia aos componentes da vacina.

Também é preferível a não aplicação em pessoas que estejam com febre aguda. A presença de uma infecção menor não é uma contraindicação.

Quando e quantas dose devo tomar?

É recomendado a utilização do seguinte esquema de doses:

– Três doses no primeiro ano de vida (aos 3, 5 e 7 meses de idade), com doses de reforço entre 12-15 meses e aos 5 e 11 anos.
– Para adolescentes: duas doses com intervalo de 5 anos.
– Para adultos: dose única, mas outras doses de reforço poderão ser recomendadas a critério médico, a partir da análise de risco (epidemias, surtos etc.).

Quais são os efeitos secundários causados pela vacina?

Alguns efeitos adversos podem ser encontrados após a aplicação da vacina, tais como: febre, irritabilidade e dor, sensibilidade, vermelhidão e inchaço no local da injeção.

Mas no geral, os sintomas são suaves e não se prolongam por muito tempo.
Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.

Tudo que você precisa saber sobre a Vacina Tríplice Viral

Tudo que você precisa saber sobre a Vacina Tríplice Viral

A primeira informação importante que você precisa saber, é que esta vacina é dada na forma de um mixer de vacinas, ou seja, uma dose da vacina para várias doenças

Neste mixer chamado de tríplice viral inclui vacinas para o sarampo, caxumba e rubéola.
O que você vai aprender sobre a Vacina tríplice viral

  • Como a vacina atua? Do que ela protege?
  • Quando e como devemos toma-la?
  • Quem não deve tomar a vacina?
  • Quais são os efeitos colaterais após a aplicação da vacina?
  • Tenho que tomar algum cuidado antes da vacinação?
  • Tenho que tomar algum cuidado após a vacinação?

Como a vacina atua? Do que ela protege?

Após a vacinação a, há produção de anticorpos especiais contra os vírus das doenças.

Fazendo com que o corpo fique preparado para agir, se necessário, contra o vírus da caxumba, sarampo e rubéola impedindo o seu desenvolvimento no organismo.

Quando e como devemos toma-la?

A vacina deve ser administrada em duas doses, uma aos 12 meses de idade, e outra entre os 1 aos 2 anos de idade.

Após 2 semanas da aplicação, a proteção é iniciada, e o efeito deve durar para a vida inteira.

Crianças mais velhas, adolescentes e adultos que não foram vacinados neste período, devem tomar duas doses da vacina com intervalos de um mês por dose.

Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. O agente estimula o sistema imunológico do corpo para reconhecê-lo como uma ameaça, destruí-lo e a manter um registro dele para que o sistema imunológico possa mais facilmente reconhecer e destruir qualquer um desses microrganismos que mais tarde encontre. Ver definição no Wikipédia
Quem não deve tomar a vacina?

Não é indicada a aplicação da vacina para os seguintes grupos:

– Mulheres grávidas;
– Pessoas com doenças que afetem o sistema imunológico;
– Pessoas com alergia a qualquer dos componentes da fórmula.

Quais são os efeitos colaterais após a aplicação da vacina?

Alguns dos efeitos colaterais da vacina podem incluir:

– Vermelhidão e dor no local da aplicação
– Coceira e inchaço no local de aplicação.

Em alguns casos mais raros, pode haver febre e dores musculares ao longo do corpo.

Tenho que tomar algum cuidado antes da vacinação?

Antes de tomar a vacina, deve-se ter alguns cuidados, caso se encaixe em alguns dos grupos indicados abaixo:

– Pessoas que usam medicamentos imunossupressores devem ser vacinadas pelo menos após um mês em que deixou de ingerir o medicamento.
– Pessoas em uso de medicamento contra câncer, só podem ser vacinadas três meses após a suspensão do tratamento.
– Pessoas que receberam transplante de medula óssea só podem ser vacinadas de 12 a 24 meses após a cirurgia.
– Deve-se adiar a vacinação, caso o paciente se encontre com febre, até haver melhora.

Tenho que tomar algum cuidado após a vacinação?

– É aconselhável evitar a gravidez por 30 dias após a vacinação.
– Compressas frias aliviam os sintomas no local da aplicação.
– Sintomas de eventos adversos graves ou persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas, devem ser relatados ao serviço onde foi realizada a aplicação.

A vacina tríplice viral faz parte do calendário básico de vacinação dos bebês, e por isso tem uma grande importância para a saúde pois previne várias doenças de uma só vez. Por isso, tem atenção ao calendário de vacinação!

Preencha o Formulário de Contato ao lado ou abaixo e fale com nossa equipe para agendar o seu horário, ou se preferir, Clique Aqui e Converse Conosco no nosso WhatsApp (41) 98855-7307.