Tipos de Vacinas

Tuberculose

Causada pelo Micobacterium tuberculosis, com apresentação mais comum na forma pulmonar com tosse, às vezes com escarro sanguinolento, febre, mal-estar e emagrecimento. Outras formas incluem : TB óssea, intestinal e neuro-TB.

A Vacina é feita com o Bacilo Calmet Guerin (BCG) inativado. Período de aplicação: a partir do nascimento, em todas as crianças, até o primeiro ano de vida, em dose única. Via de aplicação: intradérmica. A vacina só previne contra as formas mais graves.

Difteria

Doença bacteriana grave que se apresenta com infecção na garganta, podendo ter acometimento do sistema nervoso central, coração, fígado e rins.

A vacina é combinada às do tétano e da coqueluche formando a tríplice bacteriana. Período de aplicação: na infância, com esquema de cinco doses e dose de reforço a cada dez anos pela vida toda.

Tétano

Doença bacteriana grave causada pela toxina do bacilo tetânico por contaminação em ferimentos abertos. Acomete o SNC, levando a convulsões e muitas vezes ao óbito.

A vacina é combinada com a difteria e a coqueluche na tríplice bacteriana. Período de aplicação: na infância, com esquema de cinco doses e dose de reforço a cada dez anos pela vida toda.

Coqueluche

Causada pela bactéria Bordetella pertussis, com alta taxa de contágio, apresentando infecção secundária em mais de 90% dos contatos intradomiciliares suscetíveis.

Estudos recentes verificaram a importância desta bactéria em jovens e adultos, que apresentam poucos ou nenhum sintomas, servindo de fonte de infecção para crianças pequenas.

As manifestações variam de acordo com a faixa etária:

Lactentes: evolução grave e desfavorável;
Crianças pequenas previamente saudáveis: pode cursar com crises de apnéia e cianose;
Pré-escolares e escolares: quadro típico de tosse paroxística de evolução prolongada (geralmente mais de um mês), vômitos, dispnéia e cianose;
Adolescentes e adultos: tosse seca prolongada, sem causa identificável.

  • Crianças com mais de 7 anos devem receber a tríplice do tipo adulto (dTpa) – licenciada para maiores de 4 anos, ou a tríplice + VIP – licenciada de 5 a 13 anos.
  • Esquema básico (DTPa, Hexavalente ou Pentavalente): 1º, 2ª e 3ª dose – aos 2, 4, 6 meses de idade; 1º reforço entre 12 e 15 meses e o 2º reforço de 4 a 6 anos.
  • Esquema básico tríplice adulto (dTpa): reforço a partir dos 10 anos de idade; reforço a cada 10 anos com dT, dTpa ou dTpa + VIP.

Poliomielite

Também conhecida como paralisia infantil. Está erradicada nas Américas, porém ainda existem algumas áreas endêmicas na Ásia e na África, motivo pelo qual devemos manter altas as coberturas vacinais evitando a transmissão de casos novos.

Existem 2 tipos de vacinas: VOP – oral (Sabin): feita com os 3 tipos de poliovírus vivos e atenuados, e VIP – injetável (Salk): feita com os 3 tipos de poliovírus inativados.

  • Esquema básico de 5 doses: aos 2, 4, 6 e 15 meses, e reforço entre 4 e 6 meses de idade.

Haemophilus

O Haemophilus b é uma bactéria que pode causar doenças muito graves como pneumonias e meningites.

A vacina é feita com a cápsula da bactéria conjugada a uma proteína, aplicada num esquema de 3 a 4 doses.

Hepatite B

Causada pelo vírus B da hepatite. Pode apresentar sintomas de febre, icterícia e urina escura, mas muitas vezes pode ser pouco sintomática. Os sintomas duram de 3 semanas a 2 meses e podem evoluir de três maneiras distintas: cura, hepatite fulminante e hepatite crônica.

A transmissão é pelo sangue, secreções ou por contato sexual. Uma gestante portadora do vírus pode transmitir a doença ao recém-nato, daí a importância de prevenir já nas primeiras horas de vida.

  • Esquema básico: 3 doses
  • Recém-nascido: ao nascer; 2, 4 e 6 meses com a vacina Hexavalente ou Pentavalente + Hepatite B.
  • Crianças, adultos e adolescentes: intervalo de 1 mês entre a 1a e a 2a, e de 6 meses entre a 1a e a 3a (0-1-6).

Rotavírus

É o principal causador de diarreia nas crianças até 5 anos de idade. O quadro clínico é caracterizado por febre, vômitos e diarreia, podendo levar em alguns casos a desidratação grave com necessidade de internação.

Dispomos atualmente de duas vacinas: Uma oral atenuada da GSK, monovalente (é a disponível na rede pública), e outra oral e pentavalente da MSD (contempla 5 tipos de sorotipos de rotavírus). Os estudos com ambas demonstram excelente perfil de segurança e eficácia contra a doença.

  • Vacina da MSD – 3 doses: 1ª entre 6 e 12 semanas; 2ª entre 10 e 22 semanas; 3ª dose entre14 e 32 semanas (esta não deve ser aplicada após 32 semanas).

Doenças Pneumocócicas

O pneumococo é uma bactéria causadora de várias doenças graves em crianças (principalmente nas menores de 5 anos), tais como doenças de vias respiratórias altas (otites e sinusites), meningite, pneumonias e septicemia.

A vacina inicialmente licenciada continha 7 sorotipos (tipo de pneumococos). Hoje dispomos de outras vacinas conjugadas que aplicam os sorotipos 13 – valente (de 2 meses até 17 anos, e acima de 50 anos. Esquema é de 4 doses: sendo 2, 4 ,6 e 12 a 15 meses). Esta aplicação permite uma maior cobertura vacinal. Existe também a vacina Pneumo 23, porém não é indicada para crianças menores de 2 anos; Só deve ser aplicada a partir de 2 anos em pacientes portadores de doenças crônicas e debilitantes, e em situações especiais.

  • Esquema de 4 doses: aos 2, 4, 6 e 15 meses de idade. A Pneumo-23 não é eficaz para crianças menores de 2 anos; só deve ser indicada para idosos (acima de 60 anos), pacientes portadores de doenças crônicas e debilitantes, e em situações especiais.

Meningococo C

O meningococo C é uma bactéria causadora de meningites graves, de alta mortalidade, principalmente em crianças menores de 1 ou 2 anos. A contaminação é direta, atingindo crianças, jovens e adolescentes.

A vacina conjugada deve ser feita a partir dos 2 ou 3 meses de idade, em 2 doses, com intervalo de 2 meses entre elas. Dose de reforço deve ser feita no segundo ano de vida (entre 15 e 18 meses) e um 2o reforço aos 11-12 anos de idade. Adolescentes e adultos devem receber somente uma dose ( a conjugada quadrivalente ACWY é uma boa opção).

Hepatite A

É mais frequente e benigna que a do tipo B. Caracteriza-se geralmente por icterícia, febre e dor abdominal, mas pode se manifestar com poucos sintomas principalmente em crianças. A transmissão é oral e fecal.

  • Pode ser aplicada em crianças a partir de 12 meses, adolescentes e adultos (2 doses, com intervalo mínimo de 6 meses).

Varicela

Mais conhecida como catapora, é muito comum na infância. É altamente contagiosa, cursando com mal-estar, febre e as típicas lesões pruriginosas em todo o corpo. Pode complicar com piodermites ou pneumonias em adolescentes e adultos.

A vacina é recomendada para crianças a partir de 12 meses, e adultos e adolescentes suscetíveis.

  • Esquema de doses: Crianças de 1 a 13 anos: 2 doses (1ª entre 12 e 15 meses e a 2ª entre 4 e 6 anos). O intervalo mínimo pode ser de 3 meses. Se a 1ª dose foi feita com mais de 4 anos de idade, a 2ª deve ser feita 3 meses depois.
  • Para maiores de 13 anos e adultos: 2 doses com intervalo de 3 meses entre elas.

Sarampo, Caxumba e Rubéola (SCR)

O sarampo é uma doença viral grave que se apresenta com lesões avermelhadas pelo corpo, febre, conjuntivite e sintomas respiratórios, e que pode complicar com pneumonias e encefalites.

A caxumba é uma infecção viral da parótida, uma glândula salivar, que se apresenta com febre, dor e inchaço na região lateral do pescoço/mandíbula. O vírus tem preferência por tecido glandular e pode acometer o pâncreas, testículos e ovários.

A rubéola é também de origem viral e cursa com lesões avermelhadas pelo corpo, febre, mal-estar e dor articular. Em geral é uma doença branda, mas quando ocorre na gestação pode levar a malformações e doenças congênitas.

A vacina Triplice Viral (SCR) pode ser aplicada em 2 doses com intervalo de 3 meses. Adolescentes e adultos não vacinados devem receber duas doses com intervalo mínimo de 1 mês.

Influenza

Mais conhecida como gripe, é uma doença viral com epidemias anuais geralmente no final do outono e todo o inverno. É caracterizada por febre, tosse, coriza, mal-estar geral e indisposição.

Altamente contagiosa, atinge praticamente todas as idades, mas com atenção para idosos e lactentes jovens que podem apresentar complicações graves.

O vírus sofre mutações frequentes e a vacina é adaptada a cada ano para conter as prováveis cepas que circularão em cada inverno.

A época ideal de vacinação é no outono antes do período de maior circulação viral. Para as crianças menores de 9 anos que NUNCA receberam doses anteriores, fazer o esquema de 2 doses com intervalo de 30 dias. Para crianças acima de 9 anos e adultos esquema de dose única.

HPV

É uma doença viral, sexualmente transmissível, mas também com contágio pele a pele. Existe uma estreita relação da infecção pelo papiloma vírus humano (HPV) com o câncer do colo uterino (implicação do HPV 16 em mais de 50% dos casos, e do HPV 18 em cerca de 16%).

Existem mais de 100 genótipos identificados, sendo que nem todos causam doença; cerca de 40 podem infectar o trato genital causando desde doenças benignas como as verrugas genitais (HPV’s 6 e 11), lesões de potencial maligno como as displasias, até cânceres (colo uterino, vagina e ânus).

A indicação da vacina também em meninos, a partir dos 9 anos, vem das evidências de que quanto mais jovem recebida a vacina, melhor a resposta imune, com consequente prevenção de verrugas genitais, de câncer ano-genital (ânus e pênis) e de cabeça a pescoço (cavidade oral, amígdalas, orofaringe e laringe), além do homem ser um reservatório do vírus.

A vacina é segura, imunogênica (inclusive em pacientes HIV +), e contra-indicada em gestantes.

Duas vacinas estão licenciadas no Brasil:

  • A vacina Bivalente (HPV 16 e 18): é indicada somente para meninas acima de 9 anos em esquema de 3 doses: 0, 30, 180 dias.
  • A vacina Quadrivalente (HPV 6, 11, 16 e 18): é indicada para meninos e meninas dos 09 aos 26 anos em esquema de 3 doses: 0, 60, 180 dias.

DENGUE

Doença transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado com o vírus. Esse mosquito costuma picar durante o dia, principalmente no início da manhã e no final da tarde. Os sintomas são febre, dor de cabeça, dor no corpo e dor por trás dos olhos.

A pessoa pode também apresentar dos nas articulações e manchas vermelhas pela pele. A vacina é indicada para pessoas de 09 a 45 anos sendo o esquema de 3 doses com intervalo de 6 meses.

HERPES ZOSTER

É uma infecção causada pelo vírus Varicela Zoster, o mesmo agente da catapora. Provoca vesicas na pele e , geralmente, é acompanhada de dor intensa.

Mais frequente no tronco e no rosto, mostra-se como uma faixa em apenas um dos lados do corpo. A vacina é realizada em dose única para pessoas acima de 50 anos.

FEBRE AMARELA

Doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por vetores artrópodes, que possui dois ciclos epidemiológicos.

A importância epidemiológica se da por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas urbanas infectadas por Aedes aegypti. A vacina é indicada para crianças acima de 9 meses.

(643 -, 1)